Cuidados com a criança
Como evitar acidentes domésticos com crianças de 0 a 7 anos.
24 de novembro de 2014
0
prevencao-acidente-crianca

Se você tem uma criança de 0 a 6 anos em casa, sabe que essa é uma fase inesquecível, que é muito gostoso estar ao lado e contar com a companhia dos pequenos anjinhos.

Mas fique atento(a), saiba que essa também é uma fase perigosa, nessa idade as crianças são muito curiosas e ainda não conseguem entender os perigos da maioria das situações que podem colocar suas vidas e sua integridade física em risco, então, nessa idade, todo cuidado é pouco.

Nesse post eu reuni todas as informações sobre como evitar acidentes domésticos com crianças de 0 a 7 anos. A leitura é indispensável para mamães e papais!

Todos os anos, aproximadamente, seis mil crianças morrem e 140 mil são hospitalizadas, vítimas de acidentes que poderiam ser facilmente evitados por cuidados básicos por parte dos adultos. As estatística mostram que para cada criança que morre outras 900 podem sofrer sequelas de todo tipo, incluindo invalidez permanente.

Nesse artigo, eu reuni as informações de vários especialistas em segurança, médicos e bombeiros, para que este se torne um guia indispensável para te prevenir acidentes.

Leia esse artigo com atenção e descubra quais são os maiores perigos, e como evita-los.

Os principais tipos de acidentes são:

1º Quedas
2º Envenenamento e intoxicação
3º Eletricidade
4º Queimaduras
5º Afogamento
6º Acidentes de trânsito
7º Acidentes com objetos.

1º Quedas

As crianças devem brincar em lugares seguros. Escadas, sacadas e lajes não são lugares para brincar, se você tirar o olho da criança, em um minuto ela pode estar aonde não deve, e é aí que mora o perigo.

O que fazer afastar o perigo?

  • Use portões de segurança no topo e no pé das escadas, caso sua escada seja aberta, instale redes ao longo dela;
  • Instale grades ou redes de proteção nas janelas, sacadas e mezaninos;
  • Crianças com menos de seis anos não devem dormir em beliches. Se não tiver escolha, coloque grades nas laterais;
  • Mantenha camas, armários e outros móveis longe das janelas.
  • Ao andar de bicicleta, skate ou patins, o capacete é o equipamento fundamental. Ele pode reduzir o risco de lesões na cabeça em até 85%;
  • Cuidado com pisos escorregadios e coloque antiderrapante nos tapetes;
  • Crianças devem ser sempre observadas quando estiverem brincando nos parquinhos. Verifique se os brinquedos estão em boas condições e se são adequadas à idade da criança;
  • Não use andadores. Eles podem causar sérias quedas;
  • Mantenha uma mão segurando o bebê durante a troca de fraldas. Nunca deixe um bebê sozinho em mesas, camas ou outros móveis, mesmo que seja por pouco tempo. As janelas também têm que estarem gradeadas e/ou protegidas;
  • Evite colocar objetos perto das janelas, pois as crianças podem usar esse objeto (sofá, cadeira, mesa e outros) como plataforma e assim alcançar a altura da janela e subir na mesma.

2) Envenenamento e intoxicação

Curiosidade é um estágio natural do desenvolvimento de qualquer criança, é uma forma natural de começar a aprender e interagir com o meio em que vive.

Mas, por essa curiosidade, as crianças acabam correndo grande risco, por não ter noção do que é bom ou nocivo a saúde, muitas vezes acabam colando na boca, inalando ou absorvendo via cutânea (tocando) materiais nocivos.

Principais perigos de intoxicação pela faixa etária da criança:

 As crianças podem ser divididas em três grupos etários, segundo seu grau de curiosidade e raio de ação:

Grupo 1: crianças de 0 a 7 meses. Embora não consigam alcançar venenos com facilidades, são frequentemente vítimas das ações dos irmãos mais velhos, que podem imitar a mãe dando ao bebe uma “mamadeira” contendo substancias tóxica, como alvejantes.

Grupo 2: são os “inquietos”, acima de 10 meses. Os recipientes que contem substancias tóxicas (detergente, desinfetante, etc.) e se encontra em garrafa de refrigerante apresentando cor e aspecto semelhante ao um suco ou refrigerante.

Grupo 3: podemos chamar de escaladores , cerca de 3 anos. É a faixa etária que compreende mais é índice de intoxicação ou envenenamento infantil. A curiosidade, nesta idade, é praticamente ilimitada a quase tudo esta a seu alcance. Os cuidados com as crianças nesta idade exigem muita atenção de pais e professores. Como regra geral, os pais devem ler rótulos dos medicamentos que introduzem na casa. Sua quantidade deve ser limitada ao estritamente necessário. As substâncias usadas na limpeza da casa como de creches e pré-escolas devem ser guardadas em locais trancados as chaves. Além disso, os recipientes das substancias tóxicas não devem ser trocados, por exemplo, não colocar em garrafas de refrigerantes.

Produtos perigosos de acordo com o local da casa:

Cozinha: Desentupidores; desengorduradores de fogões; desinfetantes; sabões; detergentes; saponáceos;
Área de serviço: Solventes; tintas; alvejantes; inseticidas; raticidas; álcool; gás de cozinha; sabões para máquina de lavar; ceras; fertilizantes;
Sala: Bebidas alcoólicas; plantas ornamentais;
Quarto: Inseticidas; naftalina; remédios; perfumes;
Banheiro: Remédios; perfumes; cosméticos; talco; desodorizantes de ambiente;
Jardim: Plantas ornamentais; aranhas; escorpiões; cobras; insetos.

Cuidados para evitar acidentes de intoxicação ou envenenamento em crianças: 

  • Guarde todos os produtos de higiene e limpeza e medicamentos trancados, fora da vista e do alcance das crianças;
  • Mantenha os produtos em suas embalagens originais. Nunca coloque um produto tóxico em outra embalagem que não a sua, para que ele jamais seja confundido com outro tipo de produto;
  • Produtos comuns como enxaguantes bucais podem ser nocivos se a criança engolir em grande quantidade;
  • Dê preferência a embalagens de segurança. Tampas de segurança não garantem que a criança não abra a embalagem, mas podem dificultar bastante, a tempo que alguém intervenha;
  • Nunca deixe produtos venenosos, sem atenção enquanto os usa. Só leva alguns segundos para que ocorra um envenenamento;
  • Sempre leia os rótulos e bulas, siga corretamente as instruções para dar remédios às crianças, baseado no peso e idade, e use apenas o medidor que acompanha as embalagens de medicamentos infantis;
  • Nunca se refira a um medicamento como doce. Isto pode levar a criança a pensar que não é perigoso ou que é agradável de comer;
  • Como as crianças tendem a imitar os adultos, evite tomar medicamentos na frente delas;
  • Saiba quais plantas dentro e ao redor de sua casa são venenosas, remova-as ou deixe-as inacessíveis para as crianças;
  • Ensine as crianças a nunca colocarem na boca folhas, caule, casca, nozes ou sementes de qualquer planta;
  • Quando adquirir um brinquedo para a criança, certifique-se que ele é atóxico, ou seja, não contém componentes tóxicos;

Em caso de intoxicação, entre em contato imediatamente com o pronto-socorro ou Centro de Controle de Toxologia de sua cidade para receber orientações adequadas; O leite não deve ser utilizado;

O vômito nunca deve ser induzido, pois o veneno pode ser corrosivos, como amônios, alvejantes líquidos ou em pó, detergentes, solda líquida, etc. E prejudicar, assim o esôfago;

Após esses primeiros cuidados a criança deve ser levada imediatamente ao médico, juntamente com a amostra do produto ingerido. O vômito, se houver, também deve ser recolhido para exames.

Mantenha telefones de emergência próximos aos aparelhos de telefone de sua casa. Peça para os avós, parentes e amigos fazerem o mesmo. 

3) Eletricidade

Os casos de acidentes domésticos envolvendo crianças não são poucos, por isso, leia essa parte do artigo com muita atenção, porque esse tipo de acidente costuma ser fatal.

Medidas simples podem prevenir que uma criança sofra acidentes com eletricidade, tais como:

  • Verifique sempre o estado das instalações elétricas, fios desencapados podem ser muito perigosos;
  • As tomadas devem estar protegidas por tampas apropriadas, esparadrapo, fita isolante ou mesmo cobertas por móveis;
  • Fios elétricos devem estar isolados e longe do alcance da mão das crianças;
  • Evite usar benjamins ou extensões. Muitos aparelhos ligados na mesma tomada podem causar sobrecarga e curto circuito na fiação;
  • Antes de consertos e reformas, desligue a chave geral. Utilize os serviços de um eletricista;
  • Desligue o chuveiro antes de mudar a chave verão/inverno;
  • Não coloque objetos metálicos (facas, garfos, etc.) dentro de equipamentos elétricos;
  • Mantenha a criança longe de alguém que está passando roupa;
  • Oriente seu filho para nunca empinar pipas perto dos fios da rede elétrica, nem retirá-las caso elas fiquem pregadas na rede.
  • Somente permita que as crianças empinem pipas em campos abertos com boa visibilidade, sem a presença de fios e postes de eletricidade;
  • Oriente as crianças para não entrarem nas áreas das estações de distribuição ou nas de torres de transmissão;
  • Evite deixar as crianças brincando perto dos fios de alta tensão;

4) Queimaduras

A queimadura se caracteriza pelo contato com substâncias que aumentam a temperatura e provocam a destruição das camadas que compõem a pele.

Existem vários níveis de queimaduras, identificados conforme o tipo de lesão.

A queimadura de primeiro grau, é a mais comum, é aquela que acontece durante o verão, que deixa a pele vermelha e sensação de ardência. Ela é superficial, ou seja, a lesão foi apenas da epiderme.

A chamada queimadura de segundo grau também pode ocorrer por ação do sol, mas neste caso, são destruídas camadas mais profundas. É uma lesão mais dolorosa, com bolhas. Se isso acontecer, é importante levar a criança imediatamente ao médico.

Prevenir esse tipo de queimaduras é relativamente simples, você precisa de um protetor solar com o fator adequado ao tipo de pele e ao tempo de exposição ao sol.

Por exemplo, se pele leva cinco minutos para sofrer os efeitos do sol, ao passar um protetor com fator de proteção solar 15, a pele fica protegida por 15 vezes mais tempo (no caso, 75 minutos). O mesmo protetor sobre uma pele mais escura, que sofre os efeitos solares após sete minutos, protege por 105 minutos. Mas, cuidado. Isso não quer dizer que o FPS 60 seja quatro vezes mais poderoso que o FPS 15, mas que ele protege por quatro vezes mais tempo.

Ou seja, mesmo adotando o protetor, é preciso observar o período de exposição ao sol, preferindo os horários com raios mais amenos, registrados antes das 10h e após as 16h.

Sem proteção, ninguém consegue ficar sob o sol. Em uma ou duas horas, a pele já começa a arder. O ideal é que a pessoa que acaba de chegar à praia ou que não está acostumada com o sol utilize o protetor de fator 15 ou 20.

Depois que a pele se acostumar, pode ser usado o fator 8 ou 10. As pessoas de pele mais clara, são sujeitas ao desenvolvimento do câncer de pele, portanto devem usar um fator de proteção a partir de “30″. Os raios ultravioleta são fortes e penetrantes. Sua ação pode provocar alterações na célula levando ao câncer.

Mas o sol não é o único vilão, você também deve ficar atento(a) à outros perigos.

Como evitar acidentes de queimaduras com crianças em casa:

  • Mantenha as crianças longe da cozinha e do fogão, principalmente durante o preparo das refeições. Prefira cozinhar nos difusores de trás do fogão e sempre com os cabos das panelas virados para trás para evitar que as crianças alcancem e entornem os conteúdos sobre elas;
  • Evite carregar as crianças no colo enquanto mexe panelas no fogão ou manipula líquidos muito quentes. Até um simples cafezinho pode provocar graves queimaduras na pele de um bebê;
  • Evite usar toalhas de mesa que tenham bordas salientes que possam ser puxadas por crianças pequenas. Ao puxá-las, as crianças podem derrubar comida quente sobre o corpo;
  • Teste a água do banho antes de colocar o bebê na banheira, de preferência com o cotovelo (que é uma área bem sensível do seu corpo). A água quente na bacia também pode provocar queimaduras, então, nesse caso todo cuidado é pouco, e se você não tem experiência, vale a pena investir um tempo em cursos de banhos e cuidados de higiene do bebê.
  • Guarde o fósforo, velas, álcool e demais produtos inflamáveis longe do alcance das crianças; Cuidado especial com a garrafa de álcool em lugar de difícil acesso, de preferência trancado;
  • Nunca jogue álcool sobre chamas ou brasas. O álcool pode explodir e provocar queimaduras graves ou até fatais;
  • Não usar recipientes com álcool para fazer o aquecimento de ambientes principalmente em banheiros;
  • Todos os produtos químicos e de limpeza devem ser fechados em armários fora do alcance das crianças.

O que fazer em caso de acidentes:

Caso seu filho se queime, não passe nada no local afetado. Pomadas, pasta de dentes, manteiga, clara de ovos ou outras receitas caseiras podem prejudicar mais ainda a ferida;

Se a queimadura for de 1o grau (pele avermelhada), basta lavar a região com água fria;

Em casos de queimaduras de 2o e 3o graus, onde há formação de bolhas e os tecidos mais profundos da pele são atingidos, buscar atendimento médico imediatamente;

Se a chama atingir as roupas, a vitima deve deitar no chão e rolar. Quem estiver por perto deve cobri-la com um lençol ou pano molhado e levá-la imediatamente ao hospital;

Não estoure as bolhas, pois há risco de infecção;

5º Afogamento

O afogamento infantil é a segunda maior causa de morte de crianças de 1 a 14 anos, segundo a ONG Criança Segura (a primeira é o trânsito).

A principal dica de prevenção é a supervisão por parte do adulto de forma constante e atenta em todo lugar com água.

Engana-se quem pensa que o risco de afogamento existe apenas em piscina, praia, rio ou represa. Bastam três dedos de água para uma criança pequena se afogar. Observe constantemente seu filho quando estiver próximo a qualquer fonte de água.

É importante, que assim que seja possível, a criança aprenda a nadar. Enquanto isso nunca o deixe sem colete salva vidas ou bóias de braço, que são os mais seguros

As características físicas de crianças deixas faixa etária contribuem para afogamentos domésticos em lugares como balde ou banheira com água. “A cabeça é a parte mais pesada do corpo e elas ainda não têm muita habilidade motora para levantar com rapidez e sair dessa situação de perigo.

Se você tem um reservatório de água numa superfície baixa, ou se tem poços ou cisternas em casa, certifique-se de manter eles sempre fechados para assim evitar maiores problemas.

6º Acidentes de trânsito

Como já vimos, os acidentes de trânsito, são os maiores responsável por morte de crianças de 1 a 14 anos.

Alguns cuidados básicos são fundamentais para evitar acidentes e diminuir drasticamente esse risco.

Segurança no Trânsito

  • Dê a mão a seu filho quando estiver perto da rua.
  • Tenha uma área para que ele brinque com bolas e brinquedos montáveis, sem que estes possam escapar para a rua.

Segurança no carro

  • Use corretamente o assento para carros aprovado para crianças pequenas.
  • Algumas vezes as crianças não vão querer sentar
  • se na cadeirinha para crianças, portanto deve insistir ternamente cada vez que for sair de carro.
  • Dê a seu filho um brinquedo quando estiver no assento.
  • Os pais e adultos também devem usar cinto de segurança.
  • Nunca deixe uma criança sozinha no carro.

7º Acidente com objetos.

Até uma certa idade, tudo que as crianças gostam levam a boca. objetos pequenos como tampinhas, moedas ou ate mesmo brinquedos menores podem fazer as crianças se engasgarem. Estes são apenas alguns de muitos cuidados que devemos ter com os pequenos para evitar problemas. Como sabemos o melhor cuidado é a prevenção e para prevenir o ideal é sempre manter a supervisão constante de tudo que pode se tornar perigoso, então fique atento.

Também é importante que você esconda facas, garfos, tesouras e tudo o que possa furar ou cortar em uma gaveta alta onde as crianças não alcancem e tenham acesso.

Dê vida a esse blog. Comente!

Sobre a Autora

Soyama Brasileiro

Enfermeira e técnica-responsável pelo Banco de Leite do Hospital Regional da Asa Norte de Brasília (HRAN), conhecida como a Fadinha do Leite.

Post's Relacionados

/ Você pode gostar destes posts também

bebes-e-pets

O convívio entre bebês e animais de estimação

No post de hoje, eu reuni várias informações em...

Leia Mais

Há 0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>